quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Levem tudo,
os velhos casacos nunca substituidos,
a cama ressequida de movimentos antigos,
as telas, histórias e pautas esquecidas.

Levem tudo, até a mim,
não regressei completa
perdi partes por aí.
Seja um fado, um hálito amargo,
um conhecimento desesperado,
sim! Levem-me. Ver-vos-ei no fim.



3 comentários:

Manuel Veiga disse...

no fim todos nos encontraremos
não tem que enganar - qual Ópera Bufa!

apoteose?

beijo

BOM ANO

© Piedade Araújo Sol disse...


será forçosamente assim?!

um certo desalento que me transmite o poema.

beijo

:)

Teté disse...

Perdem-se sempre umas partes por aí... C'est la vie!

Beijocas e bom ano!