terça-feira, 13 de março de 2018

Saudei a distância
como se fosse água
em tempo de privação.

Queria um caminho,
passos em contínuo,
tempo de sublimação.

Sobra-me um passado
que se esconde nas esquinas,
voraz em todas as medidas
deixando as flores enperdenidas.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Sobrou na mesa a tua ausência
carregada da distância
entre as mãos que não se cruzaram.
"É a vida", dizem
imagem integrável nos prados,
na ausência de novos sóis.

"É a vida", dizem
esquecendo as promessas escondidas.

Não, não é a vida,
criando um fado
nunca a ser vivido.

Não, não sou a vida
que te prometeram.

Não,
somente sozinha
no mar que não se deu.



terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Fui ao mar encontrar o teu amor,
água salgada que fere os meus lábios,
desenhei numa concha o meu coração
pensando que virias ao meu encontro.
Não vieste nessa madrugada,
preenchi a minha alma abandonada
com restos de castelos erguidos
alheios aos meus sentidos.
Vento da minha memória
não tragas mais recordações
desse passado malfadado
gemido de guitarra que não é tocada.


sábado, 30 de dezembro de 2017

Sonhei um novo dia,
há na esperança uma secreta melodia.
Tenho medo da fantasia,
blocos frágeis por companhia,
eu tão cansada de esperar
a maré que possa atracar.

Sonhas-me castanheiro pelos tempos idos,
eu tão esgotada pelo caminho.
Olhas-me procurando esse passado,
calas-te pelo presente vazio,
queres folhas antigas,
melodias conhecidas,
encontrando raízes apodrecidas
desgastadas pelo vento
que se tornou minha companhia.

Queres pedras coloridas,
teria oferecido todas as minhas
como em tempos de euforia.

Hoje guardo incertezas,
despida de palavras por companhia.
Quero amar-te em pleno,
monte sólido de pedras que se juntaram
nos anos que estivemos afastados
tendo de ti mais do que um abraço
antes palavras certas dum futuro modificado.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Contigo foi embora
o amor por dizer.
Dizem: hás-de voltar.
O tempo não espera,
tão pouco as palavras
tolhidas de receios
que não consigo escapar.
Resta o silêncio
com os anos a passar,
entre ti e mim,
sem passado a recuperar.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Seja o Natal um dia de reencontro com a família e o ano de 2018, um ano de oportunidades e realização de desejos.

Boas festas!