terça-feira, 29 de novembro de 2016

Fala-me
de vozes antigas
que vibram no silêncio,
folhas em movimento,
eterno segredo.

Fala-me de hoje,
fonte ressequida,
longe da vida,
caos em ressurreição.

Fala-me antes
do vento veloz
que me leva a voz,
recorte do que sou,
tudo o que ficou.

Fala-me, fala-me,
voz vizinha que escuto,
presente passado futuro,
dás-me tanto, tudo,
solta o que está obscuro,
esperarei por ti sempre,
nas longas horas,
momentos incertos,
desconhecido destino.