quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Em cada palavra, a história,
em cada história, a imagem,
em todas, as recordações entrelaçadas.
Solto a música, liberto a alma,
quero vozes, quero sabores,
aragens de outras margens.
Quero ter-me, quero a graça
de ver beleza em todas as margens.




2 comentários:

Graça Pires disse...

Recordações que libertam todos os sentidos... Um poema com esperança...
Um beijo, Teresa.

Teté disse...

Depende sempre dos olhos que veem... :)

Beijocas