sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Lentamente, como se todos os passos
fossem cuidadosamente estudados,
largo cada gesto, cada espaço,
desprendo-me ao acaso,
liberto-me sabendo então
que um dia há-de ser
um espaço dourado a conquistar.
Esqueço as mãos,
as nervuras de todo o corpo,
a verdadeira ascensão provém
da alma intocável
e eu quero ser pássaro.





3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

eu às vezes sou pássaro
e voo

nas asas da imaginação


bom fim de semana.

beijo

:)

mfc disse...

Querer é tudo... e dessa forma bonita como escreves é estimulante.

Graça Pires disse...

És pássaro. Largas cada gesto, cada espaço, libertas-te, esqueces as mãos e agarras o fascínio de voar...
Muito belo!
Um beijo.