quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Esquecem-se os espinhos
guardados em segredo,
escondidos num novelo,
enredado nas suas histórias.

Perdi o medo, perdi a memória,
tenho ânsia de vento,
recebo aguarelas.

Quero ter-te,
dar-te em glória
as minhas imagens,
pequenas vitórias.

Tropeço em seixos,
sei-os lisos pelas águas,
molham as ondas,
canto glórias.


Sem comentários: