segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A voz foi rasgada num ímpio gesto
afogando os dedos bruscamente.
Diz a sabedoria, volta, é certo
esquecendo as horas no caminho.
Espinhoso é o silêncio que silencia.
Mais um passo, mais um dardo,
tarda o amanhecer.
Violam-se regras, quer-se alegria
mesmo temperada, é viva.
E escuta-se os pássaros no seu recolher,
amanhã é outro amanhecer.


5 comentários:

Graça Pires disse...

"Espinhoso é o silêncio que silencia". Mas às vezes são tão inúteis as palavras...
Bom Natal, Teresa.
Um beijo.

heretico disse...

depois do bréu da noite e claridade do alvoreecer

beijo

Gasolina disse...

Boas Festas.
Não vejo claridade, não passo do entardecer.

bettips disse...

Mando-te um abraço antigo, para te desejar bons momentos.
Que as palavras que sabes escrever e os que gostam de te ler, te alegrem!
B

mixtu disse...

outro amanhecer cedo...