quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Queria falar-te de glórias passadas,
de campos de batalha ganhos
terreno conquistado.
Desejava dar-te em afagos
paz instaurada, amor suplantado,
um pouco de luz em dias anavalhados.
Temo ter visto tão pouco
e tão pouco ter trazido
para que te sirva de conforto,
um ponto de encontro,
restauro num mundo louco.
Oferto-te pedaços de erva,
raiz de um tronco,
suavidade no toque da terra,
uma brisa no teu rosto.






1 comentário:

O Puma disse...

Hiroshima meu amor