quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Folhas das árvores, por quem chamais?
Volve-me lágrimas o silêncio com que retornais,
procuro a seara certa onde a semente desafronta
e de uma só voz se levanta enfrentando
a terra seca e dura.




Sem comentários: