sexta-feira, 21 de novembro de 2014


[Kandinsky]



Salta o muro, salta o cerco,
corre colinas com alento.
Vai de vento, vai de vento,
vai de tempo em tempo.
Tem depressa de chegar,
entregar-se ao movimento.


3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

saltar?!
se tenho asas para voar!
gostei muito deste poema em movimento.
bom fim de semana.
beijinho

:)

Graça Pires disse...

Constrói um horizonte e, através dele, apodera-te do mundo. Salta...ou voa...
Um beijo, Teresa

retriever disse...

Love much, greeting from Belgium
http://louisette.eklablog.com