domingo, 19 de março de 2017

Somos um fruto inacabado,
ausência de luz po explorar
onde universos se dividem
e não há nada para escutar.

Sombras apenas?

No olhar, no sonhar.
Poetas perdidos
sem nada a declamar.

Poetas sobreviventes,
almas desconsoladas
ao som de uma guitarra.

Perdidos na sombra da copa,
mar que se agita em tevolta.

Poetas perdidos
em terreno desconhecido.

Sem comentários: