sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Queria que fosses
testemunha do meu crescimento
mas o vento levou-te
numa rajada sem apelo.
Resta-me a mão
vazia da tua ausência.


2 comentários:

Manuel Veiga disse...

"a mão vazia de tua ausência" - muito bonito

beijo

Mar Arável disse...

A mão sempre presente