quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Vejo as velas ao longe
celebrando a outra margem.
Não vingo as águas
tão pouco as apreendo.
Falta-te acreditar,
dizem comprando
os passos que não eram,
rebentos de raízes enegrecidas
pela espera de todos os tempos.

Tenho fonte que não desejo,
odores de outrora
que caíram no tempo.

1 comentário:

Mar Arável disse...

Odores celebrados
velas soltas
Bom regresso
Bj