quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Há sorrisos que se esquecem,
perdem-se em histórias
onde já ninguém mora.

Há outros
que de tanta espera
cedo desaparecem.

Ainda os há
dos poucos escolhidos,
por vezes de desconhecidos,
onde reside a entrega.


5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

tão verdadeiro que até doi ler
fica uma ténue esperança a morar em nós
e no Poema
bom fim de semana.
beijinhos
:)

Mar Arável disse...

Na verdade relativa de todas as coisas
a vida surpreende

Manuel Veiga disse...

sorrisos e esgares para todos os gostos!
e ainda bem ...

Graça Pires disse...

Ter um horizonte no sorriso...
Um poema muito belo, Teresa.
Um beijo.

Justine disse...

Fica-me a beleza do poema e o teu sorriso longínquo.
(os gatos são a obra-prima da natureza!)