sexta-feira, 24 de outubro de 2014






Sábado passado, um bicho, sem ser convidado, entrou para dentro de mim. O insolente ainda teve o descaramento de se desmultiplicar e tudo atacar. Eram dores de costas, suores frios, a cama transformou-se em água benta. Hoje decidi que era hora de expulsá-lo, a ele e à sua prole. Urgências, pulseiras de cor, raio-x e trapalhadas. Comprimidinho debaixo da língua, o soro que caía irritantemente enquanto o meu nariz torcia-se debaixo de uma máscara. Um broncodilatador, disseram-me. E eu só queria um cigarro.





3 comentários:

heretico disse...

é o que se chama "enfrentar o bicho de frente"...

nada de temê-lo!...

beijo

Graça Pires disse...

Tem cuidado com esses bichos, amiga...
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

devemos dar a máxima atenção a esses bichos e deitar o cigarro fora....

:(