quinta-feira, 9 de maio de 2019




(Almada Negreiros)
Vem de visita e sai voando quando está só. Vem ocupando o espaço largado e recuperando-o. Vem no tom do vermelho rubro passando-o a verde-claro. Vem pelo sabor do dia onde as histórias começam e acabam, o limiar entre o oceano e a terra ténue, caminho que salta onde as lendas começam no limiar da verdade e a ilusão e os mitos recontam todas as histórias.

Entrará um dia no imaginário e verificará que o existencialismo não é tudo. Abrirá os olhos longe de conceitos pré-estabelecidos e abraçará a humanidade e todo o universo. O mundo transformar-se-á sem que disso tenha consciência. Poderá não saber da magia das coisas e se os Deuses existem ou não, formará uma verdade sua. Com calma. Senta-se sem que descubra a não existência do seu ser nesse corpo. Com calma. Lentamente os seus braços mexem e com calma vai perceber. Vencer. A languidez. Contida. Os braços embrulham o corpo e a mente desliza. O lugar dos horrores; fugir dos terrores. Alcançar a estabilidade. Resvalar todos os sentidos e deixar espaço à vontade. Derreter na música e libertar. Enquanto o céu se enche de gotículas pesadas que mais tarde se derramarão; enquanto os verbos se conjugam; enquanto desbrava os dias cinzentos.

Diz-me tu, onde pousamos?



6 comentários:

  1. Ás vezes é bem difícil saber onde pousamos.
    Apesar de haver muitos lugares para o fazer...
    Magnífico texto, gostei imenso.
    Teresa, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Era uma vez
    misture tudo destrua o cansaço e a fadiga
    escolha o lugar onde ser é estar

    chegado lá pare para pensar
    e pouse...

    ResponderEliminar
  3. pousamos no cimo da escarpa
    e
    voamos...
    belo texto!
    beijinhos

    :)

    ResponderEliminar
  4. Um texto muito bom, Teresa. Não posem em lugar nenhum… Voem até ao lugar onde se perdem as sombras…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Cada um encontrará o desespero, a raiva, a frustração, o vazio... e finalmente o gás, a energia, a luz, a estrela, a individualidade no cosmos. Tudo em si.

    Boa tarde... de manhã, à noite nunca é tarde.

    ResponderEliminar