quarta-feira, 10 de junho de 2020

Não foi há muito tempo, a solidão tocou alguém e pensava que o ia salvar dela. Não quis ter uma conversa amena, só se queixava e não procurava árvores. Aliás, não procurava nada para além de uma loucura muito própria. Ouves? Não ouves? O que queres de mim? Da solidão desesperada tenho medo, seja a minha ou de outrem, mas as árvores continuam ao nosso redor, hoje vi andorinhas, domingo vi grifos e provavelmente amanhã verei de novo a minha amiga rã da fonte aqui quase em frente. Ela não sabe que gosto dela, esconde-se, mas sabê-la lá é dar vida à vida. Ouve-me, tu que não o fazes, viste a lua? Sentiste o vento? Porque neles estão todos os segredos.

Teresa Durães

(imagem da net)



A depressão tem cura, pode demorar, mas tem. Algumas acabam por ser crónicas e é necessário tomar medicamentos para o resto da vida para equilibrar. Mas, por favor, não baixem os braços e se não conseguem ultrapassar (depressão é uma doença do foro mental, como qualquer doença precisa de tratamento) peçam ajuda a um médico

Sem comentários:

Publicar um comentário