quinta-feira, 25 de junho de 2020






Hoje não houve fantasia, hoje não houve flores e campo e árvores. Entreguei-me, vivi e sofri, mas vivendo e sofrendo faz parte da vida. Nego a minha existência e peço por outra que me é negada. Correm rios, abraço florestas e o que me sobra são as minhas mãos que já nem sabem o que fazem. Soubessem teriam evitado as correntes, mas não, insistem em novas imagens. No fim sobra um corpo cansado, estafado e não concluído.

Sem comentários:

Publicar um comentário