sexta-feira, 18 de maio de 2018

Olho-te como nunca o tinha feito. Tens os contornos que me abraçam na noite, a voz calma que me sossega,o sorriso quente que indicam uma longa sabedoria. Penso-te tanto, nas vezes que me aninhava no teu abraço deixando que todas as amarguras duras esvoaçassem levemente. Da partilha dos meus sonhos, no anseio da tua segurança. Sim, sonhei também com segurança,  como se em todos os caminhos estivesses lá. Sonhei-a acreditando que me a estendias. Devia ter percebido que apenas não podias. E senti-me traída .

Sem comentários:

Publicar um comentário